Pesquisar este blog

quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

Projeto PÉ DE VENTO: DIAGNÓSTICO DE ALFABETIZAÇÃO PARA CONHECER SUA NOV...

Projeto PÉ DE VENTO: DIAGNÓSTICO DE ALFABETIZAÇÃO PARA CONHECER SUA NOV...: Professores alfabetizadores carregam dentro de sí uma certa ansiedade e ao término do ano letivo sempre nos perguntamos porque, embora nos ...

Projeto PÉ DE VENTO: Conheça as diferenças entre os métodos de alfabeti...

Projeto PÉ DE VENTO: Conheça as diferenças entre os métodos de alfabeti...: DIFERENÇAS ENTRE OS MÉTODOS DE ALFABETIZAÇÃO Fônico Enfatiza as relações símbolo-som. Há duas "correntes". Na sintética, o aluno conh...

quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

Meio Ambiente apoia campanha de eletrorreciclagem


A Secretaria Municipal de Meio Ambiente, em parceria com a Secretaria
 de Estado do Ambiente, realizará entre os dias 19 de dezembro de 2011
 e 6 de janeiro de 2012, no Centro Administrativo São Sebastião,
 a Campanha Natal da Eletrorreciclagem. A iniciativa é para sensibilizar os
 funcionários e visitantes na sede da Prefeitura do Rio para os problemas
 causados pela disposição inadequada dos resíduos de equipamentos 
eletroeletrônicos. A campanha ocorrerá, também, em algumas
 estações do Metrô, como General Osório, Botafogo, Carioca e Pavuna.


Opinião: Papel da escola é ensinar a aprender e não só transmitir conteúdo

Opinião: Papel da escola é ensinar a aprender e não só transmitir conteúdo

Mapa da Violência lançado hoje faz balanço de 30 anos de homicídio no Brasil - Sangari Notícias

Mapa da Violência lançado hoje faz balanço de 30 anos de homicídio no Brasil - Sangari Notícias

Exposição Água, em cartaz no Museu Histórico Nacional, no Rio de Janeiro

Água é uma itinerância da mostra Água na OCA, que esteve em São Paulo entre 2010 e 2011, 
com público de 201.320 pessoas
Luciano Milhomem - Instituto Sangari

Doce ou salgada, abundante ou escassa, aliada ou adversária, pura ou poluída, líquida
 ou impenetrável, a água cobre cerca de 70% da área da Terra na forma de oceanos,
 mares, rios, lagos e geleiras. É fundamental para a existência do ser humano e
 de todos os organismos vivos. A exposição Água trata justamente dessa relação
 entre a água e o planeta, enfatizando o que essa substância representa para o Brasil
 e sua população, detentores do maior manancial aquífero do Globo.
Em cartaz no Museu Histórico Nacional, no Rio de Janeiro, de 23 de novembro até 22 de março,
 Água tem curadoria artística de Marcello Dantas e científica de Gustavo Accacio e Mário D. Domingos.
Aliando ciência, arte e tecnologia, a mostra apresenta instalações interativas, obras de arte,
 peças de acervo museológico, aquários virtuais e instalações audiovisuais, que ocupam
 os 1000m² do Museu de História Natural do Rio de Janeiro. Idealizada e realizada pelo
 Instituto SangariÁgua tem patrocínio da IBM e copatrocínio da AMIL e
 doMovimento Cyan da AMBEV.
Água é uma itinerância da mostra Água na OCA, que esteve em São Paulo entre 2010 e 2011,
 com público de 201.320 pessoas.
Entre outras questões, a mostra aborda os problemas relacionados à qualidade e à 
disponibilidade desse recurso na sociedade e nos ecossistemas. A exposição também
 sugere ações para o uso sustentável da água e pretende chamar a atenção para o modo
 como as pessoas em geral utilizam os recursos hídricos.
Programa educativo
Como em todas as exposições do Instituto Sangari, desenvolve-se um Programa
 Educativo diferenciado, que visa estimular o interesse de alunos e professores pelo assunto 
da mostra e fazer com que esse público se aproprie do conhecimento e aplique
 o que foi aprendido em seu cotidiano. O programa inclui:
·         Monitoria: Visitas guiadas com educadores para escolas e grupos.
·         Material Educativo: Distribuído aos educadores e alunos para o enriquecimento
 das visitas e aulas.
·         Laboratórios de Aprendizagem: Atividade prática voltada para os alunos, 
que visa instigar a curiosidade, a capacidade de observação e reflexão sobre os
 fenômenos observados.
O programa educativo será de 27 de fevereiro a 16 de março de 2012.
Curadoria
Água tem dois tipos de curadoria, uma científica e outra artística. Seguem informações
 sobre os curadores.
Curador artístico
Marcello Dantas— Designer, documentarista e artista multimídia, é formado em
 Cinema e Televisão pela New York University e pós-graduado em Telecomunicações.
 Estudou História da Arte e Teoria de Cinema em Florença, na Itália, e Relações
 Internacionais e Diplomacia em Brasília.
Em seu currículo, incluem-se prêmios de melhor documentário na Bienale Internationale
 du Film Sur L’Art, do Centro Georges Pompidou, em Paris, e o prestigioso ID Design
 Award, da Business Week. Foi responsável pela curadoria da exposição Bossa na OCA
 e direção artística do Museu da Língua Portuguesa.
Curadores científicos
Gustavo de Mattos Accacio— Biólogo, doutor em Zoologia pela Universidade de São Paulo (USP),
 com tese na área de fragmentação ecossistêmica e biologia da conservação. 
Accacio é consultor ambiental desde 1993, atuando como especialista em biodiversidade,
 em estudos de impacto ambiental, planos de manejo, gerenciamento ambiental e
 planejamento sistemático da conservação.
Mario Domingos — Doutor em Ciências da Engenharia Ambiental pela Universidade
 de São Paulo, atualmente é professor titular da Universidade de Santo Amaro,
 da Universidade Cidade de São Paulo, professor adjunto das Faculdades Integradas 
de São Paulo e da Universidade Metodista de São Paulo.
Renato Kipnis- Bacharel em História pela Universidade de São Paulo,
 Ph.D. em Antropologia/ Arqueologia, pela University of Michigan – Ann Arbor,
 e pós-doutorando pela Universidade de São Paulo. Coordenador de projetos
 e estudos em arqueologia e patrimônio histórico-cultural da Scientia Consultoria Científica.
 Tem vários artigos publicados e participações em congressos de arqueologia e
 ecologia, inclusive como organizador de simpósios temáticos.
Organizadores
Fundado em 2003, o Instituto Sangari tem como missão democratizar o acesso ao
 conhecimento e promover a cultura científica como instrumento de inclusão social
 e de cidadania. Com esse foco, realiza projetos que articulam Ciência, Cultura e
 Educação e utiliza diversos recursos para criar experiências lúdicas e educativas,
 primando pela interatividade e pelo olhar artístico. Para concretizar essas iniciativas,
 o Instituto Sangari firma parcerias com órgãos públicos, organizações do terceiro setor
 e empresas privadas. A parceria com o Museu de História Natural de Nova York
 é um exemplo de sucesso, que trouxe ao Brasil, com total exclusividade,
 as mostras DarwinRevolução Genômica, EinsteinÁgua que juntas receberam
 mais de um milhão de visitantes. 
O Museu Histórico Nacional, criado em 1922, é um dos mais importantes museus do Brasil.
 Reúne um acervo de 349.067 itens, entre os quais a maior coleção de numismática da América Latina.
 O conjunto arquitetônico que abriga o Museu desenvolveu-se a partir do Forte de Santiago,
 na Porta do Calabouço, um dos pontos estratégicos para a defesa da cidade do Rio de Janeiro.
Patrocinadores
Patrocínio: IBM
Copatrocínio: AMBEV/Movimento Cyan e Amil
Apoio: LatinStock, Petrobrás, Museu do Índio.
Projeto com incentivo da Lei Rouanet.

Museu Histórico NacionalPraça Marechal Âncora - Próximo à Praça XV
20021-200 - Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (0xx21) 25509220 / 25509224
Horários
De 3ª a 6ª Feira - das 10h às 17 h 
Sábados, Domingos e Feriados - das 14h às 18 h
Fechado  às segundas-feiras; dias 24, 25 e 31 de dezembro de 2011; 01 de janeiro
 e 18, 19, 20, 21 e 22 de fevereiro de 2012.
Ingressos
Inteira: R$ 20,00
Meia: R$ 10,00 (estudantes, professores e idosos de 60 a 65 anos - 
mediante apresentação de documento ou carteirinha da instituição)
Escolas agendadas: R$ 16,00 por aluno*
Domingos – preço especial:
Inteira: R$ 14,00
Meia: R$ 7,00 (estudantes, professores e idosos de 60 a 65 anos -
 mediante apresentação de documento ou carteirinha da instituição).
No segundo domingo de cada mês, a entrada é gratuita.
Entrada gratuita(mediante comprovação): Crianças de até cinco anos de idade; 
maiores de 65 anos; sócios doInternational Council of Museums – ICOM;
 guias de turismo e estudantes de museologia.
Escolas públicas agendadas:  isentas de pagamento
*O valor garante o acesso aos seguintes serviços do Programa Educativo
  • Horário reservado para a visita guiada
  • Visita guiada por monitores especializados
  • Material do aluno para cada um dos participantes
  • Material do professor para professores acompanhantes.
     
CONTATOS
Dúvidas, críticas ou sugestões: aguariodejaneiro@institutosangari.org.br
Imprensa: luciano.milhomem@sangari.com

106 livros sobre mídias sociais, comunicação e web para download | Anne Mendes

106 livros sobre mídias sociais, comunicação e web para download | Anne Mendes

Inovação é o destaque da entrega do Prêmio Barão de Mauá – Educação 2011

CIEE, Instituto Unibanco, Secretaria Municipal de Educação do Rio e diretoria do Ciep Adão Pereira Nunes são homenageados pela Casa de Mauá
Muita emoção na entrega do Prêmio Barão de Mauá – Educação, nesta terça-feira (13/12), iniciativa do Conselho Empresarial de Educação da Associação Comercial do Rio de Janeiro (ACRJ). Com iniciativas que ajudam a combater a evasão escolar em áreas violentas ou que promoveram a inserção de jovens no mercado de trabalho, a premiação contemplou práticas inovadoras que contribuíram para o desenvolvimento do processo pedagógico.
O 2º vice-presidente da ACRJ, Francisco Horta, abriu a cerimônia e destacou a importância da premiação.
“Temos que premiar a educação, que é o segmento mais importante para um país. Se houvesse mais investimentos neste setor, não teríamos tantos problemas sociais, especialmente ligados à criminalidade. Em muito boa hora, outorgamos uma bela iniciativa e foi uma vitória do mérito”, disse Francisco Horta.
O presidente do Conselho, Celso Niskier, explicou que o foco do prêmio foi a relevância, responsabilidade social e a inovação.
“Encerramos o ano satisfeitos, com projetos que são a verdadeira educação, que não é feita só nos gabinetes, mas sim por profissionais que enfrentam o calor e outras adversidades do ambiente externo, mas que, com amor ao ensino, não desistem”, comentou Celso Niskier.
A secretária municipal de Educação do Rio, Claudia Costim, ao receber o prêmio pelo projeto Escolas do Amanhã, da Secretaria Municipal de Educação do Rio, desenvolvido em 150 unidades localizadas em áreas de risco e que tem como objetivo ajudar alunos com traumas provocados pela violência.
Claudia Costim explicou que, quando observou o rendimento dos alunos do Conjunto do Alemão, Rocinha e Senador Camará, constatou que estes eram os piores da rede e que, por isso, não exitou buscar uma solução para o problema.
“Onde está a violência está o desempenho fraco. Estes alunos não precisam de compaixão, mas de educação de qualidade, melhor que nas escolas particulares. Quando o projeto começou, a evasão dos alunos do projeto era de 5,1%, enquanto que na rede era 2%. No final de 2010, chegamos a 3%. Tínhamos carência de professores, hoje não temos mais. E é em nome das 108 mil crianças atendidas pelo Escolas do Amanhã que agradeço este prêmio”, comentou Claudia Costim.
Em seguida, foi a vez da entrega do prêmio ao presidente do CIEE, o ex-secretário estadual de Educação, Arnaldo Niskier, em homenagem ao programa Aprendiz do Futuro, trabalho que a instituição desenvolve em parceria com a Fundação Roberto Marinho. A iniciativa capacita jovens para o primeiro emprego, com material didático inovador que promove a integração entre os estudantes, futuros profissionais, com o mercado de trabalho.“A premiação se refere a uma das vertentes do CIEE, em prática há quatro anos. Hoje conseguimos atender 4,4 mil jovens entre 14 e 24 anos, com uma equipe de apoio que trabalha com metas, sempre querendo ultrapassá-las. Fico feliz em ouvir a secretária Claudia Costim mostrar, em poucas palavras, o trabalho que desenvolve à frente da Secretaria. Sabemos que o índice de evasão vem regredindo, apesar do nível precário das condições de trabalho. Não vejo condições de progredir sem que haja o período integral para os estudantes. Quando se fala em qualidade de ensino universalizado, não existe nos Ensinos Fundamental e Médio, nem em quantidade nem em qualidade – temos um ensino órfão, o que é combatido com instituições como o CIEE e o Instituto Unibanco”, analisou Arnaldo Niskier.
A premiação seguinte foi para o Instituto Unibanco, que que realiza o Projeto Jovens do Futuro, cujo objetivo é melhorar a qualidade do Ensino Médio público. A iniciativa é desenvolvida em vários estado do País, atinge 2,5 milhões de estudantes e chegará à marca de três mil unidades atendidas nos próximos três anos. Em alguns estados, será incorporado à administração estadual como política pública.
Ao receber a homenagem, a superintendente do Instituto Unibanco, Wanda Engel, que é ex-professora da Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ), observou complementariedade entre os trabalhos premiados. Wanda Engel explicou que sempre tentou observar o que chamou de o “pulo do gato”, o ciclo reprodutivo da pobreza pois, quando se tira uma pessoa da dificuldade, logo vem outra. A superintendente do Instituto acredita que o fator de distribuição de oportunidades é a educação. Para Wanda, 11 anos é o mínimo de escolaridade que uma pessoa precise para conseguir algo na vida, mas estamos longe disso.“O quadro é trágico, pois evoluir nestes passos está nos deixando para trás. Os jovens estão perdendo a perspectiva no futuro. Quando saí do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) para o Instituto Unibanco, foi para desenvolver este projeto e observei que, para ter êxito, precisava de rentabilidade e um dos grandes avanços foi identificar o grau de desenvolvimento. Hoje temos estes instrumentos e daí surgem as metas. Precisamos dar condições para os jovens entrarem no mercado de trabalho e em 2006 decidimos que nosso foco era o Ensino Médio. Passamos a oferecer, para as escolas do programa, R$ 100 anuais por aluno que cumpriram a meta e as responsabilidades. Após três anos, constatamos que aumento de 50% no desempenho dos estudantes onde o projeto era aplicado. Com esse resultado em mãos, apresentei o projeto a todos os 27 governos do País, mas só Pará, Ceará, Goiás, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais e São Paulo toparam. Hoje, estamos em 4.117 escolas e nossa próxima meta é melhor em 15% a média dessas unidades no Índice Nacional da Educação Básica (Ideb)”, avaliou Wanda Engel.
A menção honrosa foi para a diretora do Ciep Adão Pereira Nunes, Ademilda da Silva José Maria, à frente da unidade há 16 anos. O Ciep desenvolveu ferramenta pedagógica e, com poucos recursos, conseguiu mobilizar alunos e professores visando melhorar o aproveitamento escolar. A professora apresentou os resultados de sua iniciativa.
“Quando assumi, a escola tinha 260 alunos com Ideb muito baixo. Em 2009, nossa nota média foi 4,5 e atualmente temos 535 matriculados. Só que queremos fechar 2011 com média 5. Não temos mais evasão escolar, e temos projetos que valorizam a cultura, arte e a tecnologia. Administrar é importante, mas a pedagogia é mais ainda”, analisou Ademilda Maria.
A professora convidou a coordenadora pedagógica do Ciep, Gisele Cordeiro, que deu mais detalhes sobre como funciona a ferramenta pedagógica.
“A inovação tem a ver com a mudança da relação aluno – professor. Nesse contexto, os alunos são os monitores dos professores – é uma inversão, que consiste numa contribuição por parte dos estudantes na parte tecnológica, especialmente. Como são mais interados com a tecnologia, os alunos dão dicas, por exemplo, sobre como manusear um datashow ou um programa de computador. Com isso, o professor passou a olhar o aluno de uma forma diferente e isso fez toda a diferença”, completou Gisele Cordeiro.
O presidente do Conselho Empresarial de Educação da ACRJ, Celso Niskier, fez o encerramento da cerimônia e ressaltou a realização dos educadores presentes ao eventos após as homenagens.
“A palavra comum em todos os discursos foi ‘meta’. Para mim, isso é uma novidade, é o renascimento da força da educação. Trata-se do novo DNA da educação. Para 2012, teremos muito trabalho e desafios pela frente. Esse, na verdade, é o grande espírito empreendedor do Barão de Mauá”, concluiu Celso Niskier.

terça-feira, 13 de dezembro de 2011

Criança que faz pré-escola aprende melhor matemática e reduz atraso escolar, diz estudo | Portal Aprendiz

Criança que faz pré-escola aprende melhor matemática e reduz atraso escolar, diz estudo | Portal Aprendiz

Livros de Educomunicação para baixar,

Dois livros sobre educomunicação estão disponíveis para download no site da Rede de Experiências em Comunicação, Educação e Participação (CEP). “Mídia e Escola”, de Fernando Rossetti, e “Educomunicar” abordam a comunicação no ensino.
Acesse o link:
http://www.redecep.org.br/midia_educacao.php

Calendário de pagamento 2012.


A Prefeitura do Rio de Janeiro já definiu que vai manter seu mecanismo de pagamento. Pensionistas e inativos no primeiro dia útil e os ativos no segundo dia útil. Falta apenas a assinatura do prefeito Eduardo Paes. O Diário Oficial deve publicar amanhã o calendário oficial e, como de costume, sairão somente as datas do primeiro semestre

13/12 Tablets e leitores digitais ameaçam a tinta e o papel

Os tablets e os leitores digitais ameaçam tornar o papel obsoleto para os editores de livros, revistas e jornais, já que as pessoas cada vez mais se habituam a ler asnotícias, romances e livros de referência em telas dos mais variados formatos.
"É uma questão de tempo antes que a gente pare de cortar árvores e que todas as nossas publicações se tornem digitais", afirma o analista Tim Bejarin, presidente da Creative Strategies.

Tablets e leitores digitais ameaçam a tinta e o papel
Tablets e leitores digitais ameaçam a tinta e o papel

Há quatro anos a gigante do comércio na internetAmazon popularizou a utilização de telas para a leitura de romances com o seu leitor, o Kindle. Depois, em 2010, a Apple atiçou um apetite insaciável por seus tablets iPad, ideais para devorar todos os formatos digitais, desde filmes até revistas e livros.
O aumento nas vendas dos leitores e tablets devem permitir que as vendas globais de livros digitais cheguem a 9,7 bilhões até 2016, triplicando o crescimento de 2011, de acordo com um relatório da empresaJuniper Research.
"O mercado para e-books está crescendo rapidamente, a velocidade da mudança comportamental do consumidor é medida em meses, em vez de anos", disse a vice-diretora executiva do Grupo de Estudo do livro (BISG), Angela Bole .
De fato, os leitores que provam o digital são rapidamente conquistados: quase metade dos compradores de livros em papel e digitais estão dispostos a desistir do papel, caso possam encontrar o que desejam em formato digital. Já as livrarias correm o risco de desaparecerem. Algumas tentam se defender adotando a tendência, como a Barnes & Noble com seu leitor Nook, ou a francesa Fnac com o Kobo by Fnac.
"Eu estou entre aqueles que pensam que o novo entusiasmo pelos e-books desenvolve no povo o interesse geral pela leitura", disse o analista Allen Weiner, da Gartner.
Estudos mostram que a posse de um leitor tende a aumentar o interesse pela leitura, uma boa notícia para os editores.
"Toda vez que motivamos as pessoas a lerem, independentemente da forma, desencadeamos o amor pela leitura", afirmou ele, convencido de que os livros em papel vão manter uma quota do mercado, como livros apreciados em casa.
"Será que isso vai forçar as editoras a pensarem diferente? Claro, mas esta não é a morte da edição impressa", disse.
Bajarin acredita que vai demorar pelo menos dez anos antes da tinta e o papel se tornem obsoletos. "Todas as pessoas com mais de 45 anos cresceu com este formato e, para muitos, ele será sempre o formato mais confortável".
Para jornais e revistas, o prazo será mais curto.
"O papel vai desaparecer para jornais, as revistas terão que encontrar um equilíbrio entre o papel e o digital", previu Weiner.
Atualmente, os jornais gastam um monte de papel na impressão e distribuição, além disso, os artigos em papel não podem chegar ao leitor tão frescos como os que saem na internet.
Portanto, o grupo News Corporation lançou no início deste ano em Nova York um jornal concebido especificamente para o formato digital, o The Daily. Os jornais tradicionais melhoraram seus sites e lançaram edições sob medida para os leitores e tablets
Em novembro, a Time Warner nomeou uma especialista em publicidade digital, Laura Lang, padroeira da Digitas (Publicis Group), para a gestão do grupo de mídia Time, o maior editor de revistas dos Estados Unidos.
"As revistas ainda estão tentando entender como funciona o digital", disse Weiner.
Quanto aos grupos da internet, eles começam em formato de revista: o Yahoo! lançou no mês passado o Livestand, combinando imagens, textos estáticos e em movimento para o iPad. Ele concorre principalmente com o Flipboard, que apresenta na forma de revista eletrônica várias seleções de artigos.

Entrega do Prêmio Barão de Mauá!

Dia 13 de dezembro vai ficar na memória de nossa equipe, recebemos a menção honrosa do Prêmio Barão de Mauá na área de Educação. A diretora Ademilda representou a escola e falou um pouco de nossa experiência como Escola do Amanhã! Muito trabalho e dedicação para fazer diferença na Educação pública, obrigada a melhor equipe do Rio de Janeiro e aos parceiros ( Bairro Educador, Sangari, Rafael Parente ).


Vídeos educativos no You tube!

YouTube lança serviço exclusivo para escolas

YouTube for Schools vai reunir vídeos educativos de temas como história e matemática, filtrando conteúdos que são considerados motivos de distração dos alunos

 O YouTube lança uma ferramenta, o YouTube for Schools, que ajuda professores e estudantes no aprendizado. O portal reúne vídeos educativos de temas como história e matemática e filtra conteúdos que são considerados motivos de distração dos alunos.

Para ajudar a equilibrar o conteúdo, o YouTube trabalhou com professores e 600 organizações, como o Smithsonian e TED para selecionar o conteúdo disponível. Há também mais de 400 playlists classificadas por disciplinas.

Os professores podem sugerir novas listas e comentários para ajudar a integrar ainda mais o YouTube em sala de aula.

segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

A educação em tempos do Twitter José Manuel Moran

Especialista em projetos de mudança na educação presencial e a distância
Diretor de Educação a Distância da Universidade Anhanguera-Uniderp

Com todos os recursos móveis e em rede,
muitas questões nos desafiam como educadores:

1. O papel do professor muda cada vez mais: Ensina menos, orienta mais, articula melhor. Ele se aproxima mais dos alunos, se movimenta mais entre eles.

2. Os tempos das aulas se tornam mais densos, para realizar atividades interessantes, que possam ser pesquisadas, produzidas, apresentadas e avaliadas no mesmo espaço e tempo. São inviáveis as aulas de 50 minutos.

3. As aulas não se resumem só aos momentos presenciais. Aumenta a integração com os ambientes digitais, com os ambientes colaborativos, com as tecnologias simples, fáceis, intuitivas.

4. Os espaços se multiplicam, mesmo sem sair do lugar (múltiplas atividades diferenciadas na mesma sala). O conteúdo pode ser disponibilizado digitalmente. Predominam as atividades em tempo real interessantes, desafios, jogos, comunicação com outros grupos.

5. Há uma exigência de maior planejamento pelo professor de atividades diferenciadas, focadas em experiências, em pesquisa, em colaboração, em desafios, jogos, múltiplas linguagens. Forte apoio de situações reais, de simulações.

6. Ganha importância maior a presença do aluno-monitor, que apóia os colegas e ajuda o professor, tanto nas atividades como nas orientações tecnológicas.

7 Aumenta a integração de ambientes digitais mais organizados (como o Moodle) com recursos mais abertos, personalizados, grupais, informais (web2.0) em todas as etapas de um curso. Para motivar, ilustrar, disponibilizar, pesquisar, interagir, produzir, publicar, avaliar com o envolvimento de todos.

8. Quanto mais tecnologias, maior a importância de profissionais competentes, confiáveis, humanos e criativos. A educação é um processo de profunda interação humana, com menos momentos presenciais tradicionais e múltiplas formas de orientar, motivar, acompanhar, avaliar.

9. É imenso – e mal explorado - o campo de inserção da escola na comunidade, de diálogo com pais, bairro, cidade, mundo, com atividades presenciais e digitais.

10. Podemos ter modelos de organização de aulas, atividades e de materiais formatados para todo o país. Só não podem ser aplicados ao pé da letra nem ficarmos reféns deles. Podem servir como roteiros de orientação dos alunos, personalizando-os, dando-lhes a nossa cara, indo além do que está previsto.

11. A educação continuada, permanente, para todos, formal e informal, presencial e a distância, abre imensos horizontes profissionais, metodológicos, mercadológicos, que mal vislumbramos ainda. Tudo está para ser feito, experimentado e reinventado de forma diferente. A educação pode ser o campo mais fértil da reinvenção, porque todas as pessoas, em todas as idades e condições, precisam desesperadamente de ajuda em múltiplos campos: da formação inicial à super-especializada.

12. Diante de tantas mudanças, tudo o que fizermos para inovar na educação será pouco.
________________
Texto inspirado no meu livro A educação que desejamos: novos desafios e como chegar lá. 4ª ed., Campinas: Papirus, 2009.

Site de games educativos !

Ludo Educa Jogos

O Ludo Educa Jogos é um portal para pessoas a partir de 4 anos de idade.
O site abriga vários jogos educativos gratuitos e de diversos assuntos!
Seja bem-vindo, jogue, divirta-se, aprenda.



                                   http://www.ludoeducajogos.com.br/home

Equipe da Unesp cria jogo educativo 'verde' - vida - versaoimpressa - Estadão

Equipe da Unesp cria jogo educativo 'verde' - vida - versaoimpressa - Estadão

domingo, 11 de dezembro de 2011

Concertos Interativos no CIEP Dr. Adão Pereira Nunes.


quinta-feira, novembro 24th, 2011

Preciso confessar: estava contando as horas para chegar ao CIEP Adão, em Irajá! Digo isso porque já na primeira visita que fiz à escola para avaliar o local do concerto, fiquei sabendo que os alunos de lá adoram música e estavam muito animados para conhecer mais sobre Villa-Lobos e sua obra.
E não é que eu estava certo? Para nos receber, os alunos prepararam um teatrinho contando a vida do nosso maestro e terminaram cantando o Trenzinho Caipira. Foi lindo demais e nosso coração quase derreteu de emoção! Que galerinha maneira! Foi show!
E o concerto foi sensacional! Os alunos estavam tão animados que era difícil escolher quem iria participar das atividades. Todo mundo tava com as respostas na ponta da língua e o sorteio das camisas foi muito bacana! Ah, e a música pra eles não está só na teoria não, nosso amigo mandou muito bem acompanhando o quarteto com as claves!
Queremos agradecer ao carinho do CIEP Adão e de toda sua equipe que recebeu a gente tão bem. Parabenizar também os alunos e professores que preparam o teatro sobre Villa-Lobos. O interesse de vocês estimula a gente a continuar levando esse projeto para mais e mais alunos.


sexta-feira, 9 de dezembro de 2011

MEC quer tornar escolas espaços de produção.

Ministérios da Cultura e da Educação querem tornar escolas públicas espaço de produção

Brasília - Os ministros da Cultura, Ana de Hollanda, e da Educação, Fernando Haddad, assinam nesta quinta-feira  acordo de cooperação técnica sobre a política de cultura para a educação básica. O objetivo é fazer da escola um espaço de produção. O pacto prevê, inicialmente, seis ações entre as duas pastas, com orçamento estimado em R$ 80 milhões.
Projetos como os pontos de Cultura, pontos de Memória (museus), as Bibliotecas, os agentes de Leitura, o Cine Mais Cultura e os espaços culturais estão entre as ações previstas no acordo a serem implementadas nas escolas públicas a partir do próximo ano. A ideia é possibilitar também maior acesso dos alunos a livros de arte e a demais acervos culturais. Está prevista ainda a formação continuada dos professores de arte e a definição de uma política de cultura para os currículos escolares.
As informações são da Agência Brasil