Pesquisar este blog

domingo, 31 de março de 2013

Entenda como funcionam as plataformas adaptativas | PORVIR

Entenda como funcionam as plataformas adaptativas | PORVIR

quarta-feira, 20 de março de 2013

Seminário Prova Rio.



Sr(a). Coordenador de E/SUBE/CRE
Sr(a). Gerente de E/SUBE/CRE/GED
Encaminhamos folder com a programação e as orientações para participação no SEMINÁRIO DE DISCUSSÃO DE RESULTADOS DA PROVA RIO 2012.
É importantíssimo que cada escola esteja representada nesse evento que vai não só divulgar os resultados, mas também orientar os professores quanto à análise e à elaboração dos itens que caem nas provas.
Gostaríamos de lembrar o quantitativo de professores para participação no Seminário:
a. Anos Iniciais (3º ao 5º Ano): 1 por escola, o qual deverá participar o dia inteiro: Manhã e Tarde;
b. Anos Finais (6º ao 9º Ano): 3 por escola, sendo 1 para cada disciplina avaliada: Língua Portuguesa, Matemática e Ciências Naturais, que deverão participar somente no turno da Manhã.
Estes professores deverão repassar o teor do seminário aos seus pares da escola, nos centros de estudos.
Solicitamos que a E/SUBE/CRE/GED relacione as inscrições e as encaminhe à E/SUBE/CED-Avaliação, por e-mail, até 2 dias úteis antes da dia reservado à participação das escolas de sua E/SUBE/CRE. Lembramos que as inscrições devem vir separadas por grupo:
- 1º ao 5º Ano;
- 6º ao 9º - LÍNGUA PORTUGUESA;
- 6º ao 9º - MATEMÁTICA;
- 6º ao 9º - CIÊNCIAS.
Solicitamos ampla divulgação a todas as Unidades Escolares de Ensino Fundamental.
Agradecemos sua valiosíssima colaboração.
Respeitosamente,
Antonio Augusto
Assistente I da E/SUBE/CED
11/019298-9






Concorra ao Novo Livro de Andrea Ramal


Promoção - Concorra ao Novo Livro de Andrea Ramal

O Portal Rioeduca irá sortear dez exemplares autografados do

Novo Livro da Escritora Andrea Ramal,

sendo cinco para nossos educadores e cinco para os familiares de nossos alunos.

 

Quem pode participar e como:


I. Na categoria educadores, poderão concorrer professores e AACs regentes da SME/RJ e na categoria família, poderão concorrer pais, mães, tutores etc de alunos(as) da SME/RJ.

II. Para concorrer, é necessário o preenchimento de um formulário, com dados pessoais, da unidade escolar.

III. Além desses dados, os concorrentes deverão completar a frase; "Para ajudar meu filho/ aluno a ser um adulto bem sucedido eu..."

IV. O preenchimento do formulário deverá ser feito até as 23 horas do dia 4 de abril e gerará um número que servirá para o sorteio que ocorrerá no dia 05 de abril, ao meio-dia, através de um programa de sorteio veiculado pela web.

 

Observações Importantes:

 

I. Professores sorteados serão informados no próprio dia 5 de abril através do seu email @rioeduca.net.

II. Familiares sorteados serão informados no próprio dia 5 de abril através de contato telefônico.

III. A frase deverá ser completada em apenas um parágrafo. 

IV. Todas as frases de inscritos, incluindo as frases dos não contemplados, poderão ser citadas, em todo ou em parte, nos Canais Rioeduca e/ou para fins de pesquisa educacional da autora Andrea Ramal.


CONCURSO DE IMAGENS E SLOGANS


GRÊMIO ESTUDANTIL / 2013
 CONCURSO DE IMAGENS E SLOGANS
 
REGULAMENTO
I  DO CONCURSO
II  DOS PARTICIPANTES
III  DO TEMA
IV  DAS INSCRIÇÕES E TRABALHOS
V  DA COORDENAÇÃO
VI  DOS PRAZOS
VII  DA COMISSÃO JULGADORA
VIII  DA DIVULGAÇÃO
IX  ORIENTAÇÕES GERAIS

 
I - DO CONCURSO
Visando reconhecer a escola como um espaço de criação, participação e interação entre as diferentes áreas do conhecimento, a E/SUBG/CGG propõe o Concurso de IMAGENS e SLOGANS - Eleição do Grêmio Estudantil / 2013.
 
II - DOS PARTICIPANTES
Poderão participar do concurso, todos os alunos da Rede Municipal de Ensino da Cidade do Rio de Janeiro.
 
III - DO TEMA
A imagem tem como objetivo divulgar à população da cidade o período de eleição do Grêmio Estudantil nas escolas no ano 2013.
O slogan tem como objetivo a importância de destacar a representatividade do Grêmio Estudantil.
 
IV - DAS INSCRIÇÕES E TRABALHOS
a)  Serão inscritos:
- Trabalhos inéditos, individuais ou coletivos, produzidos por iniciativa dos alunos e orientados pelo professor responsável pela Sala de Leitura, pelo Coordenador Pedagógico ou por um professor regente da Unidade Escolar;
- Trabalhos consonantes com a finalidade do concurso.
 
b) Em cada trabalho deverá constar no verso:
- Nome do Projeto: Eleição do Grêmio Estudantil / 2013;
- Alunos: nome, idade, turma, Escola e E/SUBE/CRE.
 
As imagens deverão ser entregues em folha de 43 cm x 29 cm.
Atendidas todas as especificações, cada Coordenadoria Regional de Educação deverá selecionar 4 trabalhos (2 imagens e 2 slogans) que serão enviados para a E/SUBG/CGG, mediante ficha de inscrição preenchida (digitada ou em letra de forma) conforme modelos em anexo.
O trabalho selecionado e impresso terá explícita a autoria. Na impressão, o trabalho poderá estar sujeito à alteração de tom, cor ou formato, por questões técnicas, preservando-se, entretanto, a concepção gráfica do concorrente selecionado.
 
V - DA COORDENAÇÃO
À E/SUBG/CGG caberá a coordenação geral do concurso.
É da sua competência:
 a) Constituir comissão julgadora;
 b) Realizar a seleção das imagens e dos slogans encaminhados pelas E/SUBE/CREs;
 c) Divulgar o(s) nome(s) do(s) autor(es) da imagem e do slogan selecionado.
 
VI - DOS PRAZOS
a)             Divulgação - através das E/SUBE/CRE, junto às escolas, a partir de 20 de março;
b)             Envio dos trabalhos à E/SUBE/CRE até 27 de março;
c)             Envio dos trabalhos à E/SUBG/CGG até 02 de abril. .
 
VII - DA COMISSÃO JULGADORA
A comissão julgadora do Nível Central será constituída por 5 membros:
a) 1 representante do E/SUBE;
b) 2 representantes da E/SUBG/CGG;
c) 2 representantes do E/SUBE/CED.
A Coordenadoria Regional de Educação formará sua comissão julgadora.
                    
VIII - DA DIVULGAÇÃO
A divulgação será feita pelas E/SUBE/CREs, junto às Escolas e órgãos representativos da comunidade.
 
IX - DAS ORIENTAÇÕES GERAIS
A produção destinada ao concurso de imagem não deverá caracterizar-se especificamente como cartaz em sua forma final. No entanto, tal produção não pode perder de vista a finalidade do material produzido, que é a divulgação da data do evento em questão.
 
É importante orientar o(a) aluno(a) concorrente de que sua criação deve distribuir-se com equilíbrio, em uma folha retangular de 43 cm x 29 cm, e que os dizeres relativos à imagem ficam restritos ao nome do evento a ser divulgado: Grêmio Estudantil / 2013 e a data da eleição.
 
O slogan vencedor será agregado à imagem vencedora.
A clareza e uso cuidadoso dos motivos assegurarão melhor divulgação.
Os casos omissos serão resolvidos pela Coordenadora da Coordenadoria de Gestão Escolar e Governança.
 
GRÊMIO ESTUDANTIL / 2013
CONCURSO DE IMAGEM
 Ficha de Inscrição
 
Escola ou Unidade de Extensão: ______________________________________
E/SUBE/.......CRE
Aluno(s) e turma(s): _______________________________________________­_
________________________________________________________________________________________________________________________________
Endereço: _______________________________________________________
 
DECLARAÇÃO
Declaramos estar cientes do Regulamento do Concurso de Imagem - Eleição do Grêmio Estudantil / 2013, com o qual estamos inteiramente de acordo e autorizamos a Secretaria Municipal de Educação a promover a impressão do trabalho, com explicitação de autoria.
Aluno (a): _______________________________________________________
Responsável pelo aluno(a): __________________________________________
Diretor(a) /Chefe da Unidade Administrativa: ____________________________
 
 Rio de Janeiro, ____ de ______________ de 2013.
 
 GRÊMIO ESTUDANTIL / 2013
CONCURSO DE SLOGAN
 
 Ficha de Inscrição
 
Escola ou Unidade de Extensão: ______________________________________
E/SUBE/.......CRE
Aluno(s) e turma(s): _______________________________________________­_
________________________________________________________________________________________________________________________________
Endereço: _______________________________________________________
 
DECLARAÇÃO
Declaramos estar cientes do Regulamento do Concurso de Imagem - Eleição do Grêmio Estudantil / 2013, com o qual estamos inteiramente de acordo e autorizamos a Secretaria Municipal de Educação a promover a impressão do trabalho, com explicitação de autoria.
Aluno (a): _______________________________________________________
Responsável pelo aluno(a): __________________________________________
Diretor(a) /Chefe da Unidade Administrativa: ____________________________
 
 Rio de Janeiro, ____ de ______________ de 2013.

terça-feira, 19 de março de 2013

Concurso para professor


EDITAL SMA Nº 85, DE 18 MARÇO DE 2013
Regulamenta o Concurso Público para Provimento
no Cargo de Professor II - apenas para 2ª, 3ª, 4ª, 5ª, 6ª,
7ª, 8ª e 11ª CRE, do Quadro Permanente De Pessoal
Do Município do Rio De Janeiro, no âmbito da Secretaria Municipal de Educação.
O Secretário Municipal de Administração, no uso das atribuições que lhe são conferidas pela legislação em vigor,
e tendo em vista o processo 07/000797/2013 e, em conformidade com o disposto na Resolução SMA Nº 1640,
de 28 de dezembro de 2010, torna público que fará realizar o Concurso Público para provimento no CARgO DE
Professor II – apenas para 2ª, 3ª, 4ª, 5ª, 6ª, 7ª, 8ª e 11ª CRE,do Quadro Permanente de Pessoal do Município
do Rio de Janeiro, no âmbito da Secretaria Municipal de Educação.
I. Das Disposições Preliminares
1 Do Concurso
O Concurso destina-se à seleção de candidatos para o preenchimento de vagas no cargo efetivo de Professor
II, no âmbito da Secretaria Municipal de Educação, para serem lotados na 2ª, 3ª, 4ª, 5ª, 6ª, 7ª, 8ª E 11ª CRE,
conforme a opção do candidato, respeitada à convocação de candidatos que encontram-se no banco de
concursados de final de fila das respectivas CRE, referente ao Concurso regulamentado pelo Edital
SMA nº 137/2011.
2- Da Remuneração, da Carga Horária, da taxa de inscrição, da Qualificação Exigida, das Vagas e das Atribui-
ções do cargVENCIMENTO
(*)
CARGA
HORÁRIA
SEMANAL
TAXA DE
INSCRIÇÃO (**) QUALIFICAÇÃO EXIGIDA
R$ 2.698,01 ***40h R$ 60,00
a) Curso Normal Superior com habilitação em docência nos anos
iniciais do Ensino Fundamental, ou
b) Licenciatura Plena em Pedagogia com habilitação em docência
nos anos iniciais do Ensino Fundamental, ou
c) Habilitação específica em curso superior de graduação correspondente à Licenciatura Plena (Ensino Fundamental) e habilitação
em docência nos anos iniciais do Ensino Fundamental (Curso de
Formação de Professores - Nível Médio).
Legenda:
(*) Lei nº 4.814, de 18 de abril de 2008
(**) Lei nº 1881/92, Inciso II, Art. 3º e Inciso III, Art. 7º
(***) observado o disposto no Título IV, Art. 10, da Lei 1881/92, que determina dedicação exclusiva.
2.1 serão acrescidos ao vencimento os seguintes benefícios:
• bônus cultura no valor de R$ 114,71 (cento e quatorze reais e setenta e um centavos) - Lei nº 3.438/2002
• auxílio-transporte no valor de R$ 121,00 (cento e vinte e um reais) - Decreto nº17.110/98;
• benefício-alimentação - de acordo com o Decreto nº 35.098/2012.
3. Das vagas
3.1 a distribuição das vagas será por Coordenadoria Regional de Educação – CRE, conforme consta do quadro abaixo:
COORDENADORIA REGIONAL DE
 EDUCAÇÃO – E/CRE
2ª 3ª 4ª 5ª 6ª 7ª 8ª 11ª TOTAL
R NI PD R NI PD R NI PD R NI PD R NI PD R NI PD R NI PD R NI PD R NI PD
15 4 1 15 4 1 22 6 2 15 4 1 15 4 1 15 4 1 15 4 1 07 2 1 119 32 9
Legenda
R = Vagas Regulares
NI= Vagas para Negros e Índios
PD = Vagas para Pessoa com Deficiência
3.2 as vagas reservadas a pessoas com deficiência, negros e índios, caso não sejam preenchidas serão
revertidas para o quadro de vagas regulares.
CRE BAIRROS DE ABRANGÊNCIA

Glória, Flamengo, Laranjeiras, Catete, Urca, Cosme Velho, Botafogo, Humaitá, Praia Vermelha, Leme,
Copacabana, lpanema, São Conrado, Rocinha, Vidigal, Gávea, Leblon, Jardim Botânico, Horto, Alto da
Boa Vista, Tijuca, Praça da Bandeira, Vila Isabel, Andaraí e Grajaú.

Higienópolis, Engenho Novo, Rocha, Riachuelo, Del Castilho, Méier, Maria da Graça, lnhaúma, Engenho da Rainha, Tomás Coelho, Bonsucesso, Piedade, Sampaio, Jacaré, Cachambi, Todos os Santos,
Pilares, Lins, Engenho de Dentro, Água Santa, Encantado, Abolição, Jacarezinho e Alemão.
4ª Manguinhos, Bonsucesso, Maré, Ramos, Olaria, Penha, Brás de Pina, Vila da Penha, Cordovil, Parada
de Lucas, Vigário Geral e Jardim América.

Vicente de Carvalho, Vila Kosmos, Vila da Penha, lrajá, Vista Alegre, Vaz Lobo, Colégio, Marechal
Hermes, Rocha Miranda, Turiaçu, Oswaldo Cruz, Bento Ribeiro, Guadalupe, Madureira, Honório Gurgel,
Campinho, Quintino, Cavalcante e Cascadura.
6ª Parque Anchieta, Anchieta, Ricardo de Albuquerque, Guadalupe, Acari, Coelho Neto, lrajá, Honório
Gurgel, Costa Barros, Pavuna e Barros Filho.

Barra da Tijuca, ltanhangá, Vargem Pequena, Vargem Grande, Recreio dos Bandeirantes, Jacarepaguá, Taquara, Cidade de Deus, Freguesia, Rio das Pedras, Tanque, Curicica, Pechincha, Praça Seca
e Vila Valqueire.
8ª Guadalupe, Deodoro, Padre Miguel, Bangu, Senador Camará, Jabour, Santíssimo, Guilherme da Silveira, Vila Kennedy, Vila Militar, Jardim Sulacap, Magalhães Bastos e Realengo.
11ª Ilha do Governador
4. Das atribuições
SÍNTESE DAS ATRIBUIÇÕES
responsabilizar-se pelo bom andamento do trabalho dos seus alunos;
participar do planejamento curricular da Escola;
planejar suas atividades como regente de turma, visando a um bom desenvolvimento funcional;
acompanhar e avaliar o desempenho do aluno, propondo medidas para melhor rendimento e ajustamento
do mesmo, em consonância com a Coordenação Pedagógica;
manter atualizado o material de registro de desempenho do aluno, obedecendo a normas e prazos estabelecidos;
utilizar as horas complementares em atividades pedagógicas inerentes à sua função de docente;
atender às determinações da Escola, quanto à observância de horário e convocações;
manter-se em permanente atualização pedagógica, visando ao aperfeiçoamento profissional;
executar quaisquer outros encargos semelhantes e pertinentes à categoria funcional.
Em consonância com a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional nº 9394, de 20/12/96, são ainda
atribuições do cargo:
ministrar os dias letivos e as horas-aula estabelecidos;
participar, integralmente, dos períodos dedicados ao planejamento, à avaliação e ao desenvolvimento profissional;
colaborar com as atividades de articulação da escola com as famílias e a comunidade;
participar da elaboração da proposta pedagógica do estabelecimento de ensino.
II. Dos Requisitos
1. São requisitos necessários para a inscrição:
a) ser brasileiro nato ou naturalizado e, no caso de nacionalidade portuguesa, estar amparado pelo estatuto
de igualdade entre brasileiros e portugueses, com reconhecimento do gozo dos direitos políticos, na forma do
disposto no art. 13, do Decreto n.º 70.436, de 18 de abril de 1972;
 Maiores informações: http://doweb.rio.rj.gov.br/visualizar_pdf.php?edi_id=2026&page=1

O futuro da educação pode estar nas nuvens | PORVIR

O futuro da educação pode estar nas nuvens | PORVIR

Oficina gratuita de apps incentiva o empreendedorismo | PORVIR

Oficina gratuita de apps incentiva o empreendedorismo | PORVIR

domingo, 17 de março de 2013

Saiu o regulamento do concurso de resenhas e relatos de experiências dos livros da biblioteca do professor

Saiu o regulamento do concurso de resenhas e relatos de experiências dos livros da biblioteca do professor. 
Os vencedores irão à Festa Literária Internacional de Paraty, FLIP. 
Veja o edital completo em sua Coordenadoria Regional de Educação e participe!

https://docs.google.com/file/d/0B7ixd0KGbnoDVlQ0bGozM1BuV3M/edit?pli=1

Curso de Extensão

Curso de Extensão



Sr. Coordenador de CRE
Sr. Gerente de Educação
Sr. Diretor de unidade com Educação infantil

Reforçando a parceria entre a Secretaria de Educação e as Universidades, divulgamos o curso de extensão Educação infantil, Infância e Artes, uma proposta da Faculdade de Educação da Universidade Federal do Rio de Janeiro, UFRJ.
Entendemos a formação continuada como um lugar privilegiado de aprimoramento e, portanto, julgamos que esta é uma excelente oportunidade de ampliar saberes e práticas de nossos professores.

Clique na imagem abaixo para acessar o folder com as informações referentes ao curso.

Solicitamos a todos a divulgação destas informações junto aos professores de Educação infantil.

https://docs.google.com/file/d/0B53pnvrg4fuPQWxyaWFrajhlaU0/edit

Você é um empreendedor criativo? Inscreva-se no Criativar!

Você é um empreendedor criativo?

Inscreva-se no Criativar!

1. Escreva um texto com no máximo uma página, vídeo ou áudio contando como o seu negócio surgiu, em um depoimento pessoal sobre criatividade, negócios e gestão.

2. Envie sua história para: empreendedorescriativos@gmail.com até 23h59
do dia 29 de março de 2013.

3. Os participantes terão inscrição gratuita para o Seminário Empreendedores Criativos, a ser realizado em abril de 2013, na sede do Banco Santander, em São Paulo. Durante o evento, serão anunciados os 14 finalistas,que apresentarão seus projetos no Seminário. Todos os finalistas receberão curso on-line de empreendedorismo, certificado pela Babson College.

4. 7 empreendedores vencedores serão selecionados para participar do Criativar – Laboratório de Negócios Criativos e receberão ajuda colaborativa para empreender seu projeto.

5. Dentre os vencedores, um receberá bolsa de estudo Santander Universidades na Babson College (Boston, EUA).Consulte regulamento e saiba mais em:


http://www.empreendedorescriativos.com.br/participe/

Seleção de professores em Volta Redonda.

Têm início na próxima quinta-feira, 14, as inscrições para o processo seletivo 002/2013 da prefeitura de Volta Redonda, Rio de Janeiro, no qual serão disponibilizadas cinco vagas docentes para substituição temporária.
Consta em certame que as oportunidades serão para Professor III - Séries Finais do Ensino Fundamental e Ensino Médio nas disciplinas de Ciências Físicas e Biológicas, Física, Geografia, Química e História, com jornada de 24 horas-aula em sala.
De acordo com a municipalidade, a hora-aula será de R$ 8,23, acrescida de gratificação social no valor de R$ 200,00, mais gratificação de 30% de regência de turmas.
As inscrições serão recebidas de 14 a 19 de março pelo endereço eletrônico www.portalvr.com, com limite das 17h do último dia.
Haverá prova objetiva de conhecimentos com questões de língua portuguesa no dia 24 de março às 9h e avaliação de títulos e experiência profissional para todos os inscritos.


http://www.portalvr.com/

quinta-feira, 14 de março de 2013

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO


2º ANO
ASPECTOS
INDICADORES
PONTUAÇÃO
1.  ESTRUTURA
(Questão 1)
     Identificar elementos de apresentação de um livro: título.

Escreve corretamente o título integral do livro = 2,5
Escreve integralmente, mas com uma incorreção o título do livro = 2,0
Escreve integralmente, mas com mais de uma incorreção o título do livro = 1,5
Escreve correta, mas parcialmente o título do livro = 1,0
Escreve parcial e incorretamente o título do livro = 0,5
Não atende = 0
2. COERÊNCIA
  (Questão 2)
    Demonstrar compreensão da história lida, por meio de um desenho.

1)    1) O desenho permite perceber, com clareza, de que trata a história do livro = 2,5
2) O desenho permite perceber, com algumas falhas na clareza, de que trata a história do livro = 2,0
3) O desenho mostra uma cena não essencial da história do livro = 1,5
4) O desenho mostra, apenas, algum personagem da história do livro = 1,0
5) Há um desenho, mas sem clara relação com a história do livro = 0,5
6) Não atende = 0
3. COESÃO TEXTUAL
  (Questão 3)
     Demonstra conhecer a sequência de uma história.

1) Organiza as frases na sequência correta da história = 2,5
2) Organiza as frases com alguma falha na sequência da história  = 2,0
3) Escreve frases soltas, mas pertinentes sobre o enredo da história = 1,5
4) Escreve frases sobre personagem, espaço ou detalhe da história  = 1,0
5) Escreve uma única frase sobre a história = 0,5
6) Não atende. = 0
4. USO DA LÍNGUA
  (Questão 4)
     Utilizar a escrita como sistema de representação, respeitando os seguintes aspectos do código linguístico:
1) uso adequado do vocabulário;
2)  ortografia - relação grafema/ fonema; espaçamento entre palavras; uso de maiúsculas; acentuação.
3) pontuação – ponto final, ponto de exclamação, ponto de interrogação, vírgula.
4) concordância nominal e verbal (relações morfossintáticas).
1) Demonstra bom domínio do código linguístico, respeitando os aspectos ortográficos, de pontuação e de concordância na organização das frases = 2,5
2) Demonstra bom domínio do código linguístico, apresentando, eventualmente, na organização das frases, dificuldades  nos aspectos ortográficos, de pontuação ou de concordância = 2,0
3)  Demonstra razoável domínio do código linguístico, com algumas dificuldades nos aspectos ortográficos, de pontuação e de concordância = 1,5
4) Demonstra razoável domínio do código linguístico, mas com muitas dificuldades em todos os aspectos = 1,0
5) Demonstra conhecimento reduzido do código linguístico, com dificuldade na organização das frases = 0,5
6) Não demonstra domínio do código linguístico  = 0

3º ANO
ASPECTOS
INDICADORES
PONTUAÇÃO
1. ESTRUTURA
     Apresentar elementos de apresentação do texto: redige utilizando as características específicas da tipologia (bilhete) nos locais adequados.
5 itens: Data
            Vocativo
            Despedida
            Assinatura
             Corpo (visão geral do texto)
5 itens = 2,5
4 itens = 2,0
3 itens = 1,5
2 itens = 1,0
1 item = 0,5
Não atende = 0
2. COERÊNCIA
    Compreender a proposta da produção textual e desenvolver o tema, estabelecendo uma comunicação entre emissor e receptor por meio da elaboração de um texto estruturado.
Itens: O quê (convite)
          Para quê (ler o livro “X”)
          Por quê (argumento)
2)     1) Explicita o quê, para quê e por quê, com coerência e clareza = 2,5
2) Explicita o quê, para quê e por quê, mesmo que com algumas falhas na coerência ou na clareza = 2,0
3) Explicita para quê e por quê, mesmo que com algumas falhas na coerência ou na clareza = 1,5
4) Explicita apenas o quê e para quê, mesmo que com algumas falhas na coerência ou na clareza = 1,0
5) Toca em algum item, mas com pouca ou nenhuma coerência ou clereza = 0,5
6) Não consegue formar um texto = 0

3. COESÃO
     Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da produção textual.
(Recursos coesivos: palavras ou expressões utilizadas para ligar as partes do texto ou para evitar repetições desnecessárias)
1) Articula adequadamente as partes do texto, sem apresentar problemas na utilização de recursos coesivos = 2,5
2) Articula adequadamente as partes do texto, podendo apresentar eventuais problemas na utilização de recursos coesivos = 2,0
3) Articula razoavelmente as partes do texto, mas apresenta problemas na utilização de recursos coesivos = 1,5
4) Articula razoavelmente as partes do texto, mas apresenta uso excessivo de repetições desnecessárias = 1,0
5) Articula precariamente as partes do texto, devido a  problemas frequentes na utilização de recursos coesivos = 0,5
6) Não articula as partes do texto = 0
4. USO DA LÍNGUA
     Utilizar a escrita como sistema de representação, respeitando os seguintes aspectos do código linguístico:
1) uso adequado do vocabulário;
2)  ortografia - relação grafema/
fonema; espaçamento entre palavras; uso de maiúsculas; acentuação.
3) pontuação – ponto final, ponto de exclamação, ponto de interrogação, vírgula.
4) concordância nominal e verbal (relações morfossin-táticas).
1) Demonstra excelente domínio do código linguístico, respeitando os aspectos ortográficos, de pontuação e de concordância = 2,5
2) Demonstra bom domínio do código linguístico, respeitando os aspectos ortográficos, de pontuação e de concordância = 2,0
3) Demonstra bom domínio do código linguístico, respeitando os aspectos de concordância, mas com algumas dificuldades em pontuação ou acentuação = 1,5
4) Demonstra bom domínio do código linguístico, respeitando os aspectos ortográficos ou de pontuação, mas com dificuldades na concordância = 1,0
5) Demonstra conhecimento reduzido do código linguístico, apresentando dificuldades com relação à pontuação, à acentuação e à concordância = 0,5
6) Não apresenta conhecimento mínimo do código linguístico = 0
4º ANO
ASPECTOS
INDICADORES
PONTUAÇÃO
1. ESTRUTURA
Apresentar elementos de apresentação do texto: redige utilizando as características específicas da tipologia (descrição) nos locais adequados.
3 itens:
  • Introdução
  • Desenvolvimento
  • Conclusão
2,5 = Apresenta os 3 itens bem definidos, com uso adequado dos parágrafos.
2,0 = Apresenta os 3 itens bem definidos, mas com falhas na paragrafação.
1,5 = Apresenta os 3 itens, mas num único parágrafo.
1,0 = Apresenta algum(ns) dos itens, mas com falhas na paragrafação.
0,5 = Apresenta algum(ns) dos itens, mas num único parágrafo.
0 =Não atende.
2. COERÊNCIA
Compreender a proposta da produção textual e desenvolver o tema, estabelecendo uma comunicação entre emissor e receptor por meio da elaboração de um texto estruturado.
Itens:
  • Qual (livro)
  • De quem (personagem)
  • O quê (características)
         
3)     2,5 = Explicita quem é o personagem escolhido, de qual livro é e suas características, com coerência e clareza.
2,0 = Explicita quem é o personagem escolhido, de qual livro é e suas características, mesmo que com algumas falhas na coerência ou na clareza.
1,5 = Explicita quem é o personagem escolhido, sem dizer de qual livro é, e algumas de suas características, mas com  coerência e clareza.
1,0 = Explicita quem é o personagem escolhido, sem dizer de qual livro é, e algumas de suas características, mesmo que com algumas falhas na coerência ou na clareza.
0,5 = Toca em algum(ns) item(ns), mas com pouca ou nenhuma coerência ou clareza.
0 = Não consegue formar um texto.
3. COESÃO
Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da produção textual.
(Recursos coesivos: palavras ou expressões utilizadas para ligar as partes do texto ou para evitar repetições desnecessárias)
2,5 = Articula adequadamente as partes do texto, sem apresentar problemas na utilização de recursos coesivos.
2,0 = Articula adequadamente as partes do texto, podendo apresentar eventuais problemas na utilização de recursos coesivos.
1,5 = Articula razoavelmente as partes do texto, mas apresenta problemas na utilização de recursos coesivos.
1,0 = Articula razoavelmente as partes do texto, mas apresenta uso excessivo de repetições desnecessárias.
0,5 = Articula precariamente as partes do texto, devido a problemas frequentes na utilização de recursos coesivos.
0 = Não articula as partes do texto.
4. USO DA LÍNGUA
Utilizar a escrita como sistema de representação, respeitando os seguintes aspectos do código linguístico:
1) uso adequado do vocabulário;
2)  ortografia - relação grafema/
fonema; espaçamento entre palavras; uso de maiúsculas; acentuação.
3) pontuação – ponto final, ponto de exclamação, ponto de interrogação, vírgula.
4) concordância nominal e verbal (relações morfossin-táticas).
2,5 = Demonstra excelente domínio do código linguístico, respeitando os aspectos ortográficos, de pontuação e de concordância.
2,0 = Demonstra bom domínio do código linguístico, respeitando os aspectos ortográficos, de pontuação e de concordância.
1,5 = Demonstra bom domínio do código linguístico, respeitando os aspectos de concordância, mas com algumas dificuldades em pontuação ou acentuação.
1,0 = Demonstra bom domínio do código linguístico, respeitando os aspectos ortográficos ou de pontuação, mas com dificuldades na concordância.
0,5 = Demonstra conhecimento reduzido do código linguístico, apresentando dificuldades com relação à pontuação, à acentuação e à concordância.
0 = Não apresenta conhecimento mínimo do código linguístico.
5º ANO
ASPECTOS
INDICADORES
PONTUAÇÃO
1. ESTRUTURA
Apresentar elementos de apresentação do texto: redige utilizando as características específicas da tipologia (descrição) nos locais adequados.
3 itens:
  • Introdução
  • Desenvolvimento
  • Conclusão
2,5 = Apresenta os 3 itens bem definidos, com uso adequado dos parágrafos.
2,0 = Apresenta os 3 itens bem definidos, mas com falhas na paragrafação.
1,5 = Apresenta os 3 itens, mas num único parágrafo.
1,0 = Apresenta algum(ns) dos itens, mas com falhas na paragrafação.
0,5 = Apresenta algum(ns) dos itens, mas num único parágrafo.
0 =Não atende.
2. COERÊNCIA
Compreender a proposta da produção textual e desenvolver o tema, estabelecendo uma comunicação entre emissor e receptor por meio da elaboração de um texto estruturado.
Itens:
  • Qual (livro)
  • De quem (protagonista)
  • O quê (feito mais importante)
         
4)     2,5 = Explicita quem é o protagonista, de qual livro é e conta seu feito mais importante, com coerência e clareza.
2,0 = Explicita quem é o personagem escolhido, de qual livro é e conta seu feito mais importante, mesmo que com algumas falhas na coerência ou na clareza.
1,5 = Explicita quem é o personagem escolhido, sem dizer de qual livro é, e conta seu feito mais importante, mas com coerência e clareza.
1,0 = Explicita quem é o personagem escolhido, sem dizer de qual livro é, e conta seu feito mais importante, mesmo que com algumas falhas na coerência ou na clareza.
0,5 = Toca em algum(ns) item(ns), mas com pouca ou nenhuma coerência ou clareza.
0 = Não consegue formar um texto.
3. COESÃO
Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da produção textual.
(Recursos coesivos: palavras ou expressões utilizadas para ligar as partes do texto ou para evitar repetições desnecessárias)
2,5 = Articula adequadamente as partes do texto, sem apresentar problemas na utilização de recursos coesivos.
2,0 = Articula adequadamente as partes do texto, podendo apresentar eventuais problemas na utilização de recursos coesivos.
1,5 = Articula razoavelmente as partes do texto, mas apresenta problemas na utilização de recursos coesivos.
1,0 = Articula razoavelmente as partes do texto, mas apresenta uso excessivo de repetições desnecessárias.
0,5 = Articula precariamente as partes do texto, devido a problemas frequentes na utilização de recursos coesivos.
0 = Não articula as partes do texto.
4. USO DA LÍNGUA
Utilizar a escrita como sistema de representação, respeitando os seguintes aspectos do código linguístico:
1) uso adequado do vocabulário;
2)  ortografia - relação grafema/
fonema; espaçamento entre palavras; uso de maiúsculas; acentuação.
3) pontuação – ponto final, ponto de exclamação, ponto de interrogação, vírgula.
4) concordância nominal e verbal (relações morfossin-táticas).
2,5 = Demonstra excelente domínio do código linguístico, respeitando os aspectos ortográficos, de pontuação e de concordância.
2,0 = Demonstra bom domínio do código linguístico, respeitando os aspectos ortográficos, de pontuação e de concordância.
1,5 = Demonstra bom domínio do código linguístico, respeitando os aspectos de concordância, mas com algumas dificuldades em pontuação ou acentuação.
1,0 = Demonstra bom domínio do código linguístico, respeitando os aspectos ortográficos ou de pontuação, mas com dificuldades na concordância.
0,5 = Demonstra conhecimento reduzido do código linguístico, apresentando dificuldades com relação à pontuação, à acentuação e à concordância.
0 = Não apresenta conhecimento mínimo do código linguístico.
6º ANO
ASPECTOS
INDICADORES
PONTUAÇÃO
1. ESTRUTURA
Apresentar elementos de apresentação do texto: redige utilizando as características específicas da tipologia.
Itens:
  • Introdução
  • Desenvolvimento
  • Conclusão
            
2,5 = Apresenta os 3 itens bem definidos, com uso adequado dos parágrafos.
2,0 = Apresenta os 3 itens bem definidos, mas com falhas na paragrafação.
1,5 = Apresenta os 3 itens, mas num único parágrafo.
1,0 = Apresenta algum(ns) dos itens, mas com falhas na paragrafação.
0,5 = Apresenta algum(ns) dos itens, mas num único parágrafo.
0 = Não atende.
2. COERÊNCIA
    Compreender a proposta da produção textual e desenvolver o tema, estabelecendo uma comunicação entre emissor e receptor por meio da elaboração de um texto estruturado.
Itens:
  • Situação inicial
  • Conflito gerador
  • Consequências
         
2,5 = Explicita qual é a situação inicial da história, o conflito gerador e suas consequências, com coerência e clareza.
2,0 = Explicita qual é a situação inicial da história, o conflito gerador e suas consequências, mesmo que com algumas falhas na coerência ou na clareza.
1,5 = Explicita qual é a situação inicial da história e o conflito gerador, mas não suas consequências, com  coerência e clareza.
1,0 = Explicita qual é a situação inicial da história e o conflito gerador, mas não suas consequências, mesmo que com algumas falhas na coerência ou na clareza.
0,5 = Toca em algum(ns) item(ns), mas com pouca ou nenhuma coerência ou clareza.
0 = Não consegue formar um texto.
3. COESÃO
Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da produção textual.
(Recursos coesivos: palavras ou expressões utilizadas para ligar as partes do texto ou para evitar repetições desnecessárias)
2,5 = Articula adequadamente as partes do texto, sem apresentar problemas na utilização de recursos coesivos.
2,0 = Articula adequadamente as partes do texto, podendo apresentar eventuais problemas na utilização de recursos coesivos.
1,5 = Articula razoavelmente as partes do texto, mas apresenta problemas na utilização de recursos coesivos.
1,0 = Articula razoavelmente as partes do texto, mas apresenta uso excessivo de repetições desnecessárias.
0,5 = Articula precariamente as partes do texto, devido a  problemas frequentes na utilização de recursos coesivos.
0 = Não articula as partes do texto.
4. USO DA LÍNGUA
Utilizar a escrita como sistema de representação, respeitando os seguintes aspectos do código linguístico:
1) uso adequado do vocabulário;
2)  ortografia - relação grafema/
fonema; espaçamento entre palavras; uso de maiúsculas; acentuação.
3) pontuação – ponto final, ponto de exclamação, ponto de interrogação, vírgula.
4) concordância nominal e verbal (relações morfossin-táticas).
2,5 = Demonstra excelente domínio do código linguístico, respeitando os aspectos ortográficos, de pontuação e de concordância.
2,0 = Demonstra bom domínio do código linguístico, respeitando os aspectos ortográficos, de pontuação e de concordância.
1,5 = Demonstra bom domínio do código linguístico, respeitando os aspectos de concordância, mas com algumas dificuldades em pontuação ou acentuação.
1,0 = Demonstra bom domínio do código linguístico, respeitando os aspectos ortográficos ou de pontuação, mas com dificuldades na concordância.
0,5 = Demonstra conhecimento reduzido do código linguístico, apresentando dificuldades com relação à pontuação, à acentuação e à concordância.
0 = Não apresenta conhecimento mínimo do código linguístico.
7º ANO
ASPECTOS
INDICADORES
PONTUAÇÃO
1. ESTRUTURA
Apresentar elementos de apresentação do texto: redige utilizando as características específicas da tipologia.
Itens:
  • Introdução
  • Desenvolvimento
  • Conclusão
            
2,5 = Apresenta os 3 itens bem definidos, com uso adequado dos parágrafos.
2,0 = Apresenta os 3 itens bem definidos, mas com falhas na paragrafação.
1,5 = Apresenta os 3 itens, mas num único parágrafo.
1,0 = Apresenta algum(ns) dos itens, mas com falhas na paragrafação.
0,5 = Apresenta algum(ns) dos itens, mas num único parágrafo.
0 = Não atende.
2. COERÊNCIA
    Compreender a proposta da produção textual e desenvolver o tema, estabelecendo uma comunicação entre emissor e receptor por meio da elaboração de um texto estruturado.
Itens:
  • Situação inicial
  • Conflito gerador
  • Por quê
         
2,5 = Explicita qual é a situação inicial da história, o conflito gerador e por que a trama se complica, com coerência e clareza.
2,0 = Explicita qual é a situação inicial da história, o conflito gerador e por que a trama se complica, mesmo que com algumas falhas na coerência ou na clareza.
1,5 = Explicita qual é a situação inicial da história e o conflito gerador, mas não por que a trama se complica, com  coerência e clareza.
1,0 = Explicita qual é a situação inicial da história e o conflito gerador, mas não por que a trama se complica, mesmo que com algumas falhas na coerência ou na clareza.
0,5 = Toca em algum(ns) item(ns), mas com pouca ou nenhuma coerência ou clareza.
0 = Não consegue formar um texto.
3. COESÃO
Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da produção textual.
(Recursos coesivos: palavras ou expressões utilizadas para ligar as partes do texto ou para evitar repetições desnecessárias)
2,5 = Articula adequadamente as partes do texto, sem apresentar problemas na utilização de recursos coesivos.
2,0 = Articula adequadamente as partes do texto, podendo apresentar eventuais problemas na utilização de recursos coesivos.
1,5 = Articula razoavelmente as partes do texto, mas apresenta problemas na utilização de recursos coesivos.
1,0 = Articula razoavelmente as partes do texto, mas apresenta uso excessivo de repetições desnecessárias.
0,5 = Articula precariamente as partes do texto, devido a  problemas frequentes na utilização de recursos coesivos.
0 = Não articula as partes do texto.
4. USO DA LÍNGUA
Utilizar a escrita como sistema de representação, respeitando os seguintes aspectos do código linguístico:
1) uso adequado do vocabulário;
2)  ortografia - relação grafema/
fonema; espaçamento entre palavras; uso de maiúsculas; acentuação.
3) pontuação – ponto final, ponto de exclamação, ponto de interrogação, vírgula.
4) concordância nominal e verbal (relações morfossin-táticas).
2,5 = Demonstra excelente domínio do código linguístico, respeitando os aspectos ortográficos, de pontuação e de concordância.
2,0 = Demonstra bom domínio do código linguístico, respeitando os aspectos ortográficos, de pontuação e de concordância.
1,5 = Demonstra bom domínio do código linguístico, respeitando os aspectos de concordância, mas com algumas dificuldades em pontuação ou acentuação.
1,0 = Demonstra bom domínio do código linguístico, respeitando os aspectos ortográficos ou de pontuação, mas com dificuldades na concordância.
0,5 = Demonstra conhecimento reduzido do código linguístico, apresentando dificuldades com relação à pontuação, à acentuação e à concordância.
0 = Não apresenta conhecimento mínimo do código linguístico.
8º ANO
ASPECTOS
INDICADORES
PONTUAÇÃO
1. ESTRUTURA
 Apresentar elementos de apresentação do texto: redige utilizando as características específicas da tipologia nos locais adequados e realizando a devida paragrafação.
3 itens:
  • Introdução
  • Desenvolvimento
  • Conclusão
2,5 = Apresenta os 3 itens bem definidos, com uso adequado dos parágrafos.
2,0 = Apresenta os 3 itens bem definidos, mas com falhas na paragrafação.
1,5 = Apresenta os 3 itens, mas num único parágrafo.
1,0 = Apresenta alguns dos itens, mas com falhas na paragrafação.
0,5 = Apresenta algum(ns) dos itens, mas num único parágrafo.
0 = Não atende.

2. COERÊNCIA
Compreender a proposta da produção textual e desenvolver o tema, estabelecendo uma comunicação entre emissor e receptor por meio da elaboração de um texto estruturado. Itens:
  • Situação inicial
  • Conflito gerador
  • Clímax
  • Desfecho
2,5 = Narra a história, abordando os 4 itens, com coerência e clareza.
2,0 = Narra a história, abordando os 4 itens, mesmo que com algumas falhas na coerência ou na clareza.
1,5 = Narra a história, abordando apenas 3 itens, porém escreve com coerência e clareza.
1,0 = Narra a história, abordando apenas 3 itens, porém escreve com falhas na coerência ou na clareza.
0,5 = Narra a história, abordando apenas 1 ou 2 itens, com pouca consistência,  apresentando falhas na coerência e na clareza.
0 = Não consegue formar um texto.
3. COESÃO
Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da produção textual.
(Recursos coesivos: palavras ou expressões utilizadas para ligar as partes do texto ou para evitar repetições desne-cessárias)
2,5 = Articula adequadamente as partes do texto, sem apresentar problemas na utilização de recursos coesivos.
2,0 = Articula adequadamente as partes do texto, podendo apresentar eventuais problemas na utilização de recursos coesivos.
1,5 = Articula razoavelmente as partes do texto, mas apresenta problemas na utilização de recursos coesivos.
1,0 = Articula razoavelmente as partes do texto, mas apresenta uso excessivo de repetições desnecessárias.
0,5 = Articula precariamente as partes do texto, devido a problemas frequentes na utilização de recursos coesivos.
0 = Não articula as partes do texto.
4. USO DA LÍNGUA
Utilizar a escrita como sistema de representação, respeitando os seguintes aspectos do código linguístico:
1) uso adequado do vocabulário;
2)  ortografia - relação grafema/fonema; espaça-mento entre palavras; uso de maiúsculas; acentuação.
3) pontuação – ponto final, ponto de exclamação, ponto de interrogação, vírgula.
4) concordância nominal e verbal (relações morfos-sintáticas).
2,5 = Demonstra excelente domínio do código linguístico, respeitando os aspectos ortográficos, de pontuação e de concordância.
2,0 = Demonstra bom domínio do código linguístico, respeitando os aspectos ortográficos, de pontuação e de concordância.
1,5 = Demonstra bom domínio do código linguístico, respeitando os aspectos de concordância, mas com algumas dificuldades em pontuação ou acentuação.
1,0 = Demonstra bom domínio do código linguístico, respeitando os aspectos ortográficos ou de pontuação, mas com dificuldades na concordância.
0,5 = Demonstra conhecimento reduzido do código linguístico, apresentando dificuldades com relação à pontuação, à acentuação e à concordância.
0 = Não apresenta conhecimento mínimo do código linguístico.

9º ANO
ASPECTOS
INDICADORES
PONTUAÇÃO
1. ESTRUTURA
Apresentar elementos de apresentação do texto: redige utilizando as características específicas da tipologia nos locais adequados e realizando a devida paragrafação.
3 itens:
  • Introdução
  • Desenvolvimento
  • Conclusão
2,5 = Apresenta os 3 itens bem definidos, com uso adequado dos parágrafos.
2,0 = Apresenta os 3 itens bem definidos, mas com falhas na paragrafação.
1,5 = Apresenta os 3 itens, mas num único parágrafo.
1,0 = Apresenta alguns dos itens, mas com falhas na paragrafação.
0,5 = Apresenta algum(ns) dos itens, mas num único parágrafo.
0 = Não atende.

2. COERÊNCIA
Compreender a proposta da produção textual e desenvolver o tema, estabelecendo uma comunicação entre emissor e receptor por meio da elaboração de um texto estruturado. Itens:
  • Situação inicial
  • Conflito gerador
  • Clímax
  • Desfecho
2,5 = Narra a história, abordando os 4 itens, com coerência e clareza.
2,0 = Narra a história, abordando os 4 itens, mesmo que com algumas falhas na coerência ou na clareza.
1,5 = Narra a história, abordando apenas 3 itens, porém escreve com coerência e clareza.
1,0 = Narra a história, abordando apenas 3 itens, porém escreve com falhas na coerência ou na clareza.
0,5 = Narra a história, abordando apenas 1 ou 2 itens, com pouca consistência,  apresentando falhas na coerência e na clareza.
0 = Não consegue formar um texto.
3. COESÃO

Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da produção textual.
(Recursos coesivos: palavras ou expressões utilizadas para ligar as partes do texto ou para evitar repetições desnecessárias)
2,5 = Articula adequadamente as partes do texto, sem apresentar problemas na utilização de recursos coesivos.
2,0 = Articula adequadamente as partes do texto, podendo apresentar eventuais problemas na utilização de recursos coesivos.
1,5 = Articula razoavelmente as partes do texto, mas apresenta problemas na utilização de recursos coesivos.
1,0 = Articula razoavelmente as partes do texto, mas apresenta uso excessivo de repetições desnecessárias.
0,5 = Articula precariamente as partes do texto, devido a problemas frequentes na utilização de recursos coesivos.
0 = Não articula as partes do texto.
4. USO DA LÍNGUA
Utilizar a escrita como sistema de representação, respeitando os seguintes aspectos do código linguístico:
1) uso adequado do vocabulário;
2)  ortografia - relação grafema/fonema; espaça-mento entre palavras; uso de maiúsculas; acentuação.
3) pontuação – ponto final, ponto de exclamação, ponto de interrogação, vírgula.
4) concordância nominal e verbal (relações morfos-sintáticas).
2,5 = Demonstra excelente domínio do código linguístico, respeitando os aspectos ortográficos, de pontuação e de concordância.
2,0 = Demonstra bom domínio do código linguístico, respeitando os aspectos ortográficos, de pontuação e de concordância.
1,5 = Demonstra bom domínio do código linguístico, respeitando os aspectos de concordância, mas com algumas dificuldades em pontuação ou acentuação.
1,0 = Demonstra bom domínio do código linguístico, respeitando os aspectos ortográficos ou de pontuação, mas com dificuldades na concordância.
0,5 = Demonstra conhecimento reduzido do código linguístico, apresentando dificuldades com relação à pontuação, à acentuação e à concordância.
0 = Não apresenta conhecimento mínimo do código linguístico.